Algumas descobertas brasileiras

Olá, amigos não especializados do vinho.
Demorei, mas por um motivo justo. Fiz um passeio pela Serra Gaúcha para enfrentar um pré-conceito que carregava sem confessar. Como contei em meu post de estréia, minha atração pelo vinho e pelas coisas do vinho nasceu numa viagem a Buenos Aires. E aí, a impressão que fica para o iniciante é que o vinho de lá, do Chile e dos países com tradição na bebida, é melhor do que os daqui.
Já vinha testando o produto nacional em casa e em restaurantes, porque para um crítico, ainda que confessamente “desespecialista”, é preciso provar de tudo e lutar contra o preconceito. E já havia provado vinhos que me surpreenderam. Mas às vezes duvidava de mim mesmo como avalista/avaliador de alguns dos quais gostei.
E esse passeio, que incluiu a visita a uma dezena de vinícolas, entre grandes e pequenas – afora uma deliciosa estada num hotel-spa – me convenceu de que minha percepção anterior estava correta. Fiquei muito bem impressionado com a qualidade e a seriedade das vinícolas. Todas muito bem estruturadas, com equipamento moderno e investimentos para fazer vinhos de primeira qualidade, à altura dos melhores importados.
As degustações, claro, foram o ponto alto da brincadeira. Aproveitei para comprar algumas garrafas dos vinhos que mais gostei e que, ali direto nas vinícolas, saem por preço bem menor do que eu encontraria aqui em São Paulo. Dei preferência àqueles de vinícolas menores (boutiques) e menos conhecidas, muitos deles difíceis de encontrar aqui. E deixo aqui algumas dicas de bons vinhos que ainda não conhecia e que me impressionaram e também a outros visitantes que fizeram o tour comigo. Indico, entre eles, um vinho de uva Ancellotta (variedade proveniente da Itália), que nunca havia provado –me surpreendeu o seu toque aveludado na boca e sabor agradável. Indico ainda dois espumantes, porque as vinícolas da Serra Gaúcha têm se desenvolvido bastante na elaboração desse tipo de vinho. Vale a pena provar:

Tintos
Dom Laurindo Reserva Ancellotta 2006 ( Vinícola Don Laurindo): harmoniza com pratos bem condimentados, entre eles carnes vermelhas e caças, além de queijos fortes.
Reserva Syrah Safra 2010 (Vinícola Almaúnica): harmoniza bem com massas, peixes e carnes pouco condimentadas.

Espumantes
Vinho branco espumante Nature (Vinícola Adolfo Lona): acompanha bem aperitivos e refeições à base de pratos frios, peixe e carnes branca.
Ponto Nero Moscatel (Vinícola Domno do Brasil): vai bem com peixes e carnes brancas pouco condimentadas, além de sobremesas.

Saúde!
Patrício

Tags: , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: